O HINO DE AMOR

(Maratona com Jesus)


 

Para Vos Unirdes, Todos Vos Deveis Curvar

02 de junho de 1987

encontra-Me mais tarde e Eu te darei os conselhos preliminares; Vassula, desenha;

une estas linhas; barras1
barras2

para vos unirdes, todos vos deveis curvar, todos deveis estar dispostos a vos curvar sendo mais flexíveis;

(Compreendi. Ele me deu uma visão clara e simples de três barras de ferro; elas eram verticais, próximas umas das outras. Ele disse: “Como podem suas cabeças1 juntar-se, a não ser que todas se curvem?” – Mais tarde, pela manhã, eu saí. Quanto mais eu pensava sobre essa visão, maior parecia-me a “montanha”. Eu estava sufocando...)

Jesus?

Eu sou; coragem, de pé, pupila! levanta! levanta Minha Cruz, bem-amada, de pé agora! não te aflijas; juntos... juntos...

Minha Vassula, juntos lutaremos, apoia-te em Mim quando estiveres cansada e deixa-Me apoiar em ti quando Eu estiver cansado;

vem ao Meu encontro, deixa-Me realizar Meus desejos, sê como cera mole e deixa Minha Mão gravar Minhas palavras em ti; sê disponível, não tenhas medo! Eu te amo bem-amada, oh! vem! o Amor não te magoará;

(Tenho medo deste trabalho.)2

vem, rezemos:

“Ó Pai,
ficai comigo até o fim;
sou fraca;
dai-me Vossa Força para
que Vos glorifique,
amém.”

bem-amada, vem, deixa teus medos e ouve-Me; atende teu Deus; Eu quero unir Minha Igreja;

Vassula, Eu te preparei para Me receberes, bem-amada, coragem!

Preciso de Vossa coragem, não tenho nenhuma.

Eu te encorajarei e reforçarei teu amor por Mim, tudo para Minha Glória;

Vassula, escreverás Minhas palavras? bebe de Mim; não busques conforto, sê pobre, como Eu quando estava em carne, na Terra; sê simples para que ambos sintamos o contraste e as grandezas dos que Me açoitaram, deixa-Me sentir o contraste! continua extraindo de Meu Coração, embeleza Minha Igreja, retira de Meu Coração e compreenderás, Minha menina;

(Acho que começo a compreender que obra é esta. É por isso que estou apreensiva: Jesus começa a trabalhar com afinco na Igreja...)


3 de junho de 1987

(Fui novamente atacada “por escrito” pelo demônio. Foi como se gatos tivessem pulado em minhas costas. Estava “farta” deles, parecia que “todo o inferno tinha-se desencadeado”; eles me irritaram, e eu disse a um deles: “Em nome de Jesus Cristo deixa-me e sê atirado ao fogo.” Ele me deixou. Havia muitos e cada um foi tratado da mesma forma que o primeiro e com as mesmas palavras. Jesus me disse: “pede em Meu Nome e receberás, mas precisas ter fé naquilo que pedes, trabalha dessa forma, reza e pede, reza em Meu Nome; trabalha em Meu Nome, pede em Meu Nome, revive Meu Nome, sê Meu reflexo, sincroniza-te Comigo, levanta tua cabeça em Minha direção, acredita no que pedes;”

Ele me disse que os demônios têm medo de mim; eu sou uma ameaça para eles. Mais tarde, percebi onde estava, senti meu pé na lama úmida e pegajosa e, num instante, reconheci o ambiente do inferno. Foi como um lampejo. Então compreendi por que, havia hoje, tanta interferência maligna por escrito. Quando perguntei sobre isso, Jesus disse: “Poderia ter sido em outro lugar?” Estávamos juntos, passando perto das portas3 do inferno, curando almas, arrancando-as das portas de Satanás. “ Vassula, permite-Me fazer uso de ti assim também; isso faz igualmente parte de teu trabalho;”)


1 Compreendi mais tarde que as cabeças são as autoridades, os líderes.

2 Nota do Editor: ler as palavras de Vassula ao final desta mensagem.

3 O purgatório mais baixo, o mais próximo do inferno.


Compartilha esta Mensagem!